Sustentabilidade

Légende ci-dessous
Sustentabilidade

A NOSSA APROXIMAÇÃO AO ECO-DESIGN

01_ConceptionDiretamente da fase de desenho, os nossos engenheiros procuram minimizar o impacto do veículo no ambiente em cada etapa do seu ciclo de vida.

Reduzir as emissões de CO2 é um ponto fulcral. Para atingir este objetivo, tomamos medidas em várias áreas, incluindo controlo de peso, mecânica e aerodinâmica. Ao estarmos focados em soluções eficientes e fiáveis adaptadas a cada mercado, conseguimos implementar um sentido de responsabilidade global para o efeito de estufa.

Tecnologias do futuro

Os nossos engenheiros trabalham ativamente em soluções tecnológicas que tragam progresso ao desenvolvimento impacto ambiental nos automóveis. O desenvolvimento da nova geração do sistema Stop & Start desde 2010, soluções híbridas desde 2011, e o lançamento dos veículos de zero emissões permitem à Citroën consolidar a sua posição no segmento dos veículos de baixas emissões de CO2.

Recursos e reciclagem

De forma a limitar o consumo de combustível e as emissões de CO2 e outros poluentes, a nossa política de eco-design aponta à otimização do uso de recursos naturais, através de uma escolha seletiva dos materiais usados para a produção dos nosso veículos. Também nos preocupamos com o impacto ambiental do final de vida dos nossos automóveis, promovendo a reciclagem.

Exemplo: C3 Picasso

Dos 170 kg de polímeros contidos no novo C3 Picasso (excluindo os pneus), quase 11% são materiais “verdes”. Nestes incluem-se três tipos de materiais:
– materiais reciclados;
– materiais naturais, como madeira e fibras vegetais;
– biomateriais, polímeros produzidos com recursos renováveis ao invés de produtos do setor petroquímico.

Como exemplo; as fibras naturais usadas na produção da chapeleira e painéis das portas. Os plásticos reciclados da indústria automóvel são para os guarda-lamas.

FÁBRICAS ISO 14001

02_FabricationA

Todas as nossas fábricas têm um sistema de gestão ambiental baseada na certificação ISO 14001. Esta definição internacional define a norma internacional para a gestão e organização.

Este processo de certificação começou há mais de 10 anos e agora atingiu a maioridade em todas as nossas fábricas com a certificação ISO 14001, desde 2007. Este padrão, criado em 1996, exige ao fabricantes que ponham em prática medidas para seguir, controlar e medir o impacto dos processos no ambiente. Incluiu também formação específica para todos os trabalhadores.

A indústria automóvel abrange uma série de atividades, como fundição, maquinagem, pressão de metal, montagem, tratamento de superfícies, pintura e acabamento. Embora estas fábricas não representem um “grande risco para o ambiente”, (como definido na diretiva de 1996, chamada Soveso), não deixam de causar uma série de impactos que lutamos para controlar.

1) Estufas de pintura: desde 1995, temos mais de metade mais de metade das emissões, por veículo, das emissões dos compostos orgânicos voláteis produzidos pelos solventes da tinta.

2) Fundições: ao usar equipamentos de tecnologia avançada (pistola de plasma) e ao desenvolver sistemas de controlo, reduzimos de forma significativa as emissões provenientes das fundições.

3) Consumo de água: poupar água é um dos objetivos principais para todas as nossas fábricas. Esta política permitiu reduzir o consumo de água por veículo produzido num factor de 2,5, desde 1995.

4) 94% do desperdício da produção é recuperado: as nossas fábricas produzem cerca de 700 000 toneladas de desperdício de metal, por ano, recuperado para ser usado em fábricas de aço e fundições. Do restante excesso, 82% é processado por outros canais. A média de recuperação é de 94%.

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL NO CORAÇÃO DA REDE

03_RéparationA rede Citroën compromete-se a fazer uma contribuição ativa para a política ambiental da marca, desde o início de vida até ao final dos seus veículos.

A rede Citroën compromete-se com três critérios chave para a gestão:
– Ordenação, de forma a recuperar os desperdícios dos automóveis através de organizações aprovadas;
– Conformidade regulamentar, para garantir que a rede cumpre os regulamentos nacionais e internacionais;
– Rastreio, para controlar o desperdício e saber se é reciclado.

Consciência e responsabilidade

No Salão Automóvel de Paris de 2008, a Citroën apresentou o ‘GreenPact’. Esta nova aproximação ambiental foi criada para ajudar a rede de vendas em França a cumprir com a mudança na legislação e para melhorar o seu impacto ambiental (gestão do desperdício, armazenamento químico, rastreio das peças em fim de vida, etc.).
Para atingir este objetivo, o Greenpact usa uma série de ferramentas educacionais e promove contactos entre a rede e outros agentes especializados, como as organizações que recebem e tratam os lubrificantes.

Colheita e gestão

A rede Citroën tem uma estrutura para recolher e processar os veículos em fim de vida, usando métodos ambientais responsáveis há mais de 15 anos.
A colheita e ordenação do desperdício oriundo da reparação e peças é organizado em linha com os métodos de gestão postos em prática para os produtos em final de vida e depositado em França como parte do GreenPact.

Descontaminação

O desenho de cada veículo tem em conta a fase de descontaminação de fim de vida e pretende tornar este processo mais fácil. Para dar apenas um exemplo, é colocada uma marca no ponto mais baixo do depósito de combustível para torná-lo mais fácil de esvaziar. Ao mesmo tempo, um processo de desmontagem é desenvolvido numa fase precoce por engenheiros da Citroen por cada peça que tem de ser removida como parte do processo de descontaminação.